música > letras

Marcas
Marcas
Neurogamia
Contámos uma história a dois
Personagens improváveis
E o enredo estava-se a ver
Andámos sem ter destino
Sem saber onde chegar
 
Vivemos para alem do tempo
E a história ficou por contar
 
Tenho marcas no corpo
Sinais da vida que deu para o torto
Tenho o tempo no rosto
Cravadas marcas do desgosto
 
Ficámos a meio caminho
Quando havia tanto para andar
E o destino estava-se a ver
 
Fomos perdendo a direcção
E a história ficou por contar
 
Tenho marcas no corpo
Sinais da vida que deu para o torto
Tenho o tempo no rosto
Cravadas marcas do desgosto
 
Tivemos tempos feitos loucos
Desfizemos o amor aos poucos
E a vida estava-se a ver
Também se estava a desfazer